fbpx

Tempos difíceis acontecem… e agora?

Seja uma pandemia, seja um imprevisto financeiro, sejam dificuldades numa relação, seja uma doença, nossa ou de a alguém que amamos, simplesmente é a vida a acontecer. O que fazer quando isso acontece é o que falaremos aqui. Além disso vou partilhar contigo o que me aconteceu nos últimos dois meses.
Vão sempre existir acontecimentos que não controlamos. O que fazemos quando eles acontecem só depende de nós. Queres saber o que podes fazer para lidar com as coisas más ou imprevistos menos bons que acontecem? Então continua a ler.
Para dar um exemplo vou contar-te o que me aconteceu nas últimas semanas e me fez andar menos participativa nas redes sociais.
Em Dezembro de 2020, quando estava a fazer o lançamento da 5ª edição do meu programa online “CRIA o teu plano de vida”, a notícia que menos esperava surgiu. O meu fez um exame e descobrimos que tinha um cancro maligno no intestino. A notícia aconteceu de forma inesperada. Além disso, os meus pais vivem em Barcelona e a vontade de dar um abraço apertado ao meu pai (e à minha mãe), não pôde acontecer…
Isto que me aconteceu foi a vida a acontecer. Não dependia de mim e eu nada podia fazer ou ter feito para o impedir. “Apenas” podia decidir o que fazer e como agir perante tudo o que estava a viver.
De seguida irei apresentar sete dicas que te irão ajudar a lidar com tudo o que de menos bom nos vai acontecendo. Vou também explicar o que fui fazendo ao longo dos dias e semanas de espera depois de receber esta notícia.

 

#1 Atitude

Muitas coisas acontecem que nos incomodam e nos deixam tristes. O que vivemos hoje com a pandemia e este novo confinamento deixa-nos tristes. Mas a questão que aqui devemos analisar é: o que fazer perante o que nos acontece?
Acontecem coisas que nos deixam tristes, coisas que não controlamos, que não dependem de nós. É a vida a acontecer. Contudo, podemos decidir como agir perante o que nos acontece.
Quando descobri a doença do meu pai, o meu mundo desabou. Porém, eu estava em lançamento, momento em que criei vários dias com desafios, diretos e workshops online para dar gratuitamente a quem se inscrevesse e ajudar o maior número de pessoas.
Dei muito da minha energia, dedicação e empenho. Claro que o fácil e tentador teria sido adiar os eventos programados e o lançamento do meu programa online “CRIA o teu Plano de Vida”. Mas pensei. “Márcia, nada podes fazer perante o que está a acontecer ao meu pai. Mas depende de ti ajudares as pessoas a serem mais felizes e abundantes. O que te impede de o fazeres? Esta é a tua missão de vida, ajudar pessoas. Mais do que nunca é importante mostrar que é possível sermos felizes e abundantes. Mostrar que é possível resgatar o nosso poder interior.”
O que me tinha acontecido, representava apenas 10%, o que eu decidia fazer com isso representava 90%.
De nada adiantava eu ficar só triste e a chorar… Chorei muito. Eu acredito, com base na minha licenciatura em psicologia e anos de estudo em física quântica, que onde nós concentramos a nossa atenção, mais atrairemos disso para a nossa vida.
Ora, se queremos ser felizes e abundantes, temos de nos concentrar nas coisas que nos fazem sentir assim. Foi o que fiz. Escolhi, perante tudo o que acontecia, ajudar os outros, continuar a dar as aulas `´as minhas turmas… Consegui fazer tudo igual? Não. Os últimos dois meses estive muito menos presente nas redes sociais, mas estive sempre disponível para as minhas turmas.

Resumo: apesar do que possa acontecer na nossa vida, nós devemos escolher sempre ser felizes e abundantes. Para isso, temos de nos concentrar no que nos fará sentir bem. É desafiante? Sim, é. Mas é possível e vale bem a pena. De seguida explicarei o que aconteceu e darei outra dica para te ajudar a gerir estes momentos mais complicados que por vezes acontecem na vida.

 

#2 Gratidão

Quando tudo parece estar a desabar, concentrar o nosso pensamento nas coisas pelais quais devemos estar gratos é a melhor decisão.
Praticar a gratidão faz com que a nossa mente se concentre nas boas emoções e fará com que procure mais estímulos para nos sentirmos bem. Se nos concentrarmos nas coisas más, a mente procurará mais motivos para nos sentirmos da mesma forma. O mesmo acontece com a lei da atração. Por esse motivo devemos praticar a gratidão.
Sabes o que fiz quando receava pela saúde e vida do meu pai? Sentia uma enorme gratidão pelo pai que tenho e recordei inúmeras vezes os momentos felizes vividos. Fiz este exercício sempre que o coração apertava e me dava uma vontade enorme de chorar. Praticava a gratidão.

Resumo: sempre que algo que acontece que nos deixa triste, devemos recordar tudo aquilo pelo qual devemos sentir gratidão. Estarmos vivos, termos saúde, termos uma casa, roupa, alimentos… eu sei lá. Temos tantos motivos para sentirmos gratidão. Pratica diariamente.

 

#3 Foco no presente

 
Quando a vida acontece e nos trás momentos menos bons, o que acontece habitualmente? Vamos pensar no que de pior poderá acontecer. Por exemplo, vivemos momentos desafiantes com esta pandemia. O mais frequente é nos focarmos nos piores cenários. E isso vai originar o desenvolvimento de ansiedade. Sofremos por antecipação com o que poderá (ou não) acontecer no futuro.
Quando a minha mãe me contou o estado de saúdo de meu pai, o pior veio à minha cabeça. Claro que sim. Mas faltava ele fazer um exame para sabermos o real estado da doença. De nada adiantava pensar no que de pior poderia acontecer. Os médicos tinham-nos preparado para o pior. Entretanto, na semana a seguir ao Natal o meu pai fez o TAC e teve a reunião com a equipa que iria fazer a cirurgia. As notícias foram muito más. Fomos informados que a cirurgia era de risco e muitas coisas negativas poderiam acontecer… O que fiz? Foco no presente, no aqui e no agora. Perguntei-me: “O que podes fazer no aqui e no agora Márcia?”.
Viver o presente. Estas notícias foram dadas numa terça-feira e decidi, em conjunto com o meu marido e os meus três filhos, irmos na quarta-feira à noite para Barcelona, depois da aula que daria á minha turma.
Esta viagem tinha como objetivo todos vivermos no presente e aproveitarmos da melhor forma o aqui e o agora. Fizemos uma surpresa aos meus pais. Foram quatro dias em Barcelona de muita alegria, diversão, e emoções muito boas.
Se chorei? Muito. Mas logo fazia por me concentrar no presente.

Resumo: Aproveita cada momento. A verdade é que nós nunca sabemos quando o nosso prazo de validade vai terminar. Viver no presente impede sofrer por antecipação.

 

#4 Fé – Acreditar no melhor

Mesmo quando a vida acontece e nos trás momentos menos positivos, devemos acreditar que tudo se resolverá. Devemos ter fé.
Fé, não é necessariamente algo religioso, é uma emoção. Ter esperança e esperar o melhor é fundamental. Neste momento que atravessamos esta pandemia, acreditar que tudo correrá pelo melhor é fundamental.

Resumo: mesmo quando tudo parece estar a desabar, temos de acreditar, ter fé. Essa emoção dá-nos força e foca a nossa mente no melhor. Quando acreditamos, através da lei da atração, estamos a atrair coisas boas para a nossa vida. Acredita. O que perdes por o fazer?

Ficar melhor emocionalmente é uma consequência imediata. Experimenta.

 

#5 Erguer

Habitualmente quando algo de menos bom acontece o nosso corpo adapta-se. Temos tendência a encolher os ombros, a curvar as costas, a ter um semblante triste e a olhar para o chão. Muda a postura. Endireita as costas. Coloca os ombros para trás. Coloca sempre um sorriso no rosto e olha para cima, em frente. Olha para o horizonte e imediatamente te sentirás melhor.

Resumo: utiliza o corpo a teu favor. Contraria a vontade de te encolheres e muda a postura. Aproveitar a vida começa pela nossa linguagem não verbal.

 

#6 Assumir o comando

Tudo pode estar a desabar à nossa volta, mas a decisão de desabamos, ou não, é exclusivamente nossa. Todos nós temos o poder de comandar a nossa vida. Decidir ficar triste ou reagir depende exclusivamente de nós.
Nas semanas que passaram em que não sabíamos o que iria acontecer, tive momentos de grande tristeza e muito choro. Quantas não foram as vezes que me deu vontade de adiar as aulas das minhas turmas, por exemplo. Mas nunca o fiz. Porquê? Porque ao seguir com as aulas continuava a minha missão de vida, ajudar os outros. Por outro lado, fazendo o que devia fazer, sentia-me bem e sentia boas emoções. Quebrava o padrão da tristeza.
Eu acredito que a vida é como plantar um jardim. As nossas emoções, pensamentos, palavras e ações são sementes que originarão resultados mais à frente. Ora, se eu quero um jardim lindo e perfumado na minha vida, tenho de semear boas sementes. Assumir o comando da nossa vida é isso: escolher o melhor caminho sempre com foco na felicidade e na abundância.

Resumo: escolhe sempre ser feliz e abundante. Temos sempre essa opção na vida. Pode ser desafiante, mas assim que seguimos o caminho certo, sentimos a vida a melhorar.

 

#7 Viver Agora

A vida acontece e mesmo que a decisão seja nada fazer, é em si mesma uma ação. Quando coisas más nos acontecem nós podemos (e devemos) nos perguntar: o que posso fazer agora para melhorar isto?
Há sempre algo que podemos fazer. Eu vivi momentos de Dezembro até à passada semana, de grande intensidade emocional. Vivemos o que vivemos com esta pandemia que já é desafiante. Assistir ao desenrolar da saúde do meu pai, e estando à distância, foi desolador. Chorei muito. Aliás, emociono-me ao escrever este texto…
Mas perante tudo o que estava a acontecer, escolhi sempre tentar melhorar cada momento.
No dia anterior à cirurgia do meu pai recebi uma mensagem dele que dizia que: “chegar a casa e nos ver, foi um dos melhores dias da sua vida.”
A viagem de surpresa foi algo que eu podia fazer e desfrutar dela. Tirar o melhor proveito do que aconteceu foi o que tentei fazer.
A cirurgia já aconteceu e correu tudo muito melhor do que os médicos estavam à espera. Os piores cenários não se confirmaram. Era um cancro maligno mas não tinha chegado ao local onde se temia. O meu pai já está em casa e quando for possível iremos novamente a Barcelona dar um xi apertadinho. Quando esta pandemia permitir… ~
A vida acontece todos os dias, mas enfiar a cabeça na areia e fazer de conta que nada podemos fazer é um erro. A vida é uma dádiva e todos podemos tirar o melhor dela. É desafiante? Sim. Mas muito melhor do que viver sem energia, em tristeza, com lamentos e reclamações. Reagir e escolher ser feliz e abundante deve ser sempre o único caminho que devemos escolher.
Quando isto aconteceu teve impactos, claro que sim. Por exemplo, estar mais ausente das redes sociais foi uma consequência. Mas estar presente nas minhas turmas foi sempre uma prioridade. Ajudar os outros a serem mais felizes e abundantes é a minha missão de vida. Ao fazê-lo estou a viver no aqui e no agora e a semear as melhores sementes para o meu jardim. Escolher a vida que desejas.
Ninguém controla a natureza. Acontecem tempestades Bárbara, Alex ou outras mais que vemos acontecer. É a vida a acontecer. Contudo, o que fazemos com isso depende exclusivamente de nós. Nada nem ninguém é responsável pela nossa vida, apenas e exclusivamente nós mesmo.
Espero que estas sete dicas façam sentido para ti e as apliques. Decide ser feliz e abundante e entra em ação. Se praticares estas sete dicas irás sentir mudanças. Vivemos uma pandemia. Contudo de nada adianta nos lamentarmos ou reclamarmos. Agir com foco na felicidade e na abundancia é o único caminho correto a seguir.
 
Se fizer sentido para ti, deixa um comentário.
Tem um dia maravilhosos e lembra-te: tu mereces ser feliz e abundante.

19 thoughts on “Tempos difíceis acontecem… e agora?”

  1. Obrigada
    Tudo o que aqui escreveu faz todo o sentido para mim pois já venho praticando á algum tempo esta forma de encarar a vida .
    Eu te abençoo pelo teu trabalho
    Bem haja e as melhoras do pai

  2. Só agora, depois de ler este teu texto, e porque estarmos num novo confinamento, e nao tenho tempo para redes sociais, me apercebi da falta dos teus posts diários…
    Dos posts de incentivo, cheios de energia e dedicação que te caracterizam!
    Aceita um xi apertadinho!
    Beijinhos
    Ate breve

  3. Márcia, faz todo o sentido sim as suas palavras! É evidente que não é fácil mas temos que tentar e não desistir. Compreendo a muito bem porque o meu pai partiu exactamente com o mesmo problema e as 3 operações pelas quais ele se submeteu de nada resultou! Também já perdi a minha mãe que sofreu dessa grave doença!
    Temos que ir buscar forças nem sei onde e continuarmos a nossa jornada e a nossa missão nesta vida.
    As melhoras do seu pai e um grande beijo para si e grata por pensar sempre em nós

  4. Querida Márcia,
    Faz todo o sentido as suas sábias palavras. Compreendo a bem pois o meu pai partiu com essa doença no mesmo sítio e também já partiu também a minha mãe também com essa triste doença!
    Temos que ir buscar forças nem sei bem onde e continuarmos a nossa jornada e com a nossa missão nesta vida. Que o seu pai esteja bem.
    Grata por pensar sempre em nós

  5. Clara ivone Ruivo

    Olá querida Márcia…as tuas palavras fazem todo o sentido!
    Eu não tenho aquele medo que faz parazilar, ou meter a cabeça na areia, continuo a fazer as coisas… Caminhadas a chuva, faço culinária com as minhas sobrinhas, pratico gratidão e tenho muita fé! O que me parte o coração é ver partir entes queridos…até aceito mas ficao uma bola no peito!
    Tudo o que dizes faz sentido e és um excelente ser humano que eu admiro muito!
    Fico muito feliz pelo teu pai, que tudo possa continuar no bom caminho é o que eu desejo de coração❤️
    Um grande abraço para ti sê Feliz e Abundante

  6. Alexandra Moreira

    Olá!
    Grata pelo seu texto que li com emoção! É verdade tudo se resume a viver o presente o mais positivamente possível, com fé, esperança e esperar um amanhã melhor!
    As melhoras do seu pai.
    Obrigada pela partilha!

  7. Maria da Luz Marta Alves

    Querida Márcia faz todo o sentido as tuas dicas!
    As melhoras do teu pai, e tudo de bpm para todas!
    Todos merecemos ser felizes e abundantes!
    Gratidão, gratidão

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *